Pesquisa do Instituto Butantan identifica moléculas promissoras para o combate ao envelhecimento da pele

Date:

Share post:

Um projeto de pesquisa conduzido pelo Laboratório de Estrutura e Função de Biomoléculas do Instituto Butantan revelou a descoberta de peptídeos com potencial para inibir e ativar a ação da hialuronidase, uma enzima que degrada o ácido hialurônico no organismo, substância responsável por manter a pele firme. Os peptídeos inibidores têm o potencial de tratar rugas e lesões na cartilagem, enquanto os ativadores podem ser utilizados no tratamento de hematomas. O estudo, realizado pelo estudante de medicina Caio Mendes, em conjunto com pesquisadores do Instituto Butantan e da Universidade Nove de Julho, apresenta resultados promissores para possíveis aplicações estéticas e médicas.

A pesquisa, intitulada “Emprego da hialuronidase como ferramenta de triagem para a identificação de peptídeos com potencial biotecnológico a partir do colágeno hidrolisado”, faz parte do programa de bolsas do Programa de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBITI), financiado pelo Centro Nacional de Desenvolvimento Tecnológico (CNPq) e pela Fundação Butantan. O estudo conquistou o primeiro lugar no 5º Encontro dos Alunos de Iniciação Científica e Inovação Tecnológica da Escola Superior do Instituto Butantan. Os pesquisadores destacam que o uso de peptídeos como agentes terapêuticos é promissor devido à sua origem natural e potencial segurança para o tratamento de diversas condições.

Os resultados preliminares indicam que o colágeno hidrolisado possui capacidade de inibir a ação da hialuronidase, contribuindo para a melhoria da aparência da pele. A equipe identificou quatro peptídeos presentes no colágeno que inibiram a enzima em 100%. Os pesquisadores agora estão analisando esses peptídeos por espectrometria de massas para obter informações mais detalhadas sobre sua composição e poderão sintetizá-los para realizar testes in vitro e in vivo. A pesquisa representa um avanço significativo no campo da biotecnologia e pode abrir caminho para o desenvolvimento de produtos cosméticos e medicamentos para tratamentos estéticos e de lesões na pele e cartilagem.

spot_img

Notícias relacionados

Educação como ferramenta de mudança: Investimentos no futuro dos mais pobres

A educação tem sido reconhecida globalmente como um dos pilares fundamentais para o combate à pobreza e a...

Teatro Goiânia recebe espetáculo “Entre memórias”

Sobre memórias e aprendizados, a apresentação de dança será às 19h30 O Teatro Goiânia, unidade da Secretaria de Estado...

Studio Y no Bloco do Carneiro

O Studio Y estará presente no Bloco do Carneiro, no Deck Mambo com sua tradicional ação de retoques...

Palavra Comunicação lança Videocast

As jornalistas Alessandra Câmara e Bia Tahan, da Palavra Comunicação, lançam nos próximos dias o Videocast: Com a...