17°C
Clear sky

Cairo Salim quer mais transparência em venda ao consumidor

A obrigatoriedade de os supermercados, estabelecimentos comerciais e varejistas ou atacadistas de venda de alimentos e produtos domésticos colocarem os monitores da caixa registradora de forma visível para o consumidor. É o que dispõe o projeto de lei nº 2391/19, de autoria do deputado Cairo Salim (Pros), em tramitação na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego).
“A proposta tem como finalidade proteger um direito básico do consumidor, ou seja, o direito de informação adequada sobre o preço do produto disposto no art. 6°, 111, do Código de Defesa e Proteção do Consumidor (Lei n08.078/90)”, coloca o parlamentar em sua justificativa.
O parlamentar lembra que muitos estabelecimentos comerciais que possuem caixas registradoras deixam o monitor voltado para o funcionário ou colocam produtos, propagandas e outros obstáculos impedindo a visualização e o acompanhamento da compra pelo consumidor.
Cairo Salim ressalta ainda: “A oportunidade de visão dos produtos confere ao consumidor mais um mecanismo de verificação durante a compra, antes de sua finalização, uma vez que tal medida permite minimizar os desgastes de possíveis erros somente após a verificação apenas com o cupom fiscal”.
E conclui: “Trata-se, portanto, de obrigação de fácil cumprimento, podendo ser implementada imediatamente”.
Depois de aprovado nas Comissões de Constituição, Justiça e Redação (CCJ) e Defesa dos Direitos do Consumidor (CDDC) da Alego, o projeto está agora na pauta prévia do plenário, em fase de primeira discussão e votação.

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp