25°C
Clear sky

Comissão especial vai analisar filtro de relevância para recursos especiais ao STJ

Lucas Pricken/STJ
Haverá presunção de relevância em ações penais e de improbidade, por exemplo

A Câmara dos Deputados vai instalar nesta terça-feira (14) a comissão especial que vai analisar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 39/21, do Senado, que busca limitar os recursos a serem analisados pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

A proposta impõe, a quem recorre ao STJ, a obrigação de demonstrar a relevância das questões de direito federal infraconstitucional discutidas no caso. A admissibilidade do recurso poderá ser recusada pela manifestação de dois terços dos membros do órgão competente para julgá-lo (turma ou pleno).

Presunção de relevância

Pelo texto, haverá presunção de relevância nas ações penais, de improbidade administrativa e com valor de causa maior que 500 salários mínimos.

Também haverá nas ações que possam gerar inelegibilidade, nas situações em que o acórdão recorrido contraria jurisprudência dominante do STJ, e outras previstas em lei.

Atualmente, a Constituição permite que se recorra ao STJ, na forma desse recurso especial, em diversas situações.

Saiba mais sobre a tramitação de propostas de emenda à Constituição

A comissão

A comissão especial terá 34 deputados titulares e igual número de suplentes. O texto teve a admissibilidade aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça no fim do mês passado.

Após a instalação do colegiado, marcada para as 14h30, no plenário 8, serão eleitos os dirigentes do grupo.

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp