30°C
Overcast clouds

Conheça destinos imperdíveis para descobrir o turismo ferroviário no Brasil

O Trem das Águas, em Minas Gerais, leva o turista a uma verdadeira viagem no tempo. Crédito: Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF)

Quando pensamos em viajar imaginamos chegar ao nosso destino de avião, carro ou ônibus, mas é possível conhecer o Brasil de uma maneira inusitada. Os passeios de trem no país são menos conhecidos, mas garantem uma experiência encantadora, por caminhos centenários entre cidades históricas. Estar a bordo de uma legítima Maria Fumaça é sentir-se em uma viagem no tempo ou parte do elenco de uma novela da época imperial.

Em Minas Gerais, por exemplo, o passeio na Maria Fumaça mais antiga do estado, que liga a cidade de Tiradentes a São João del-Rei, é um passeio único. A antiga Estrada de Ferro Oeste de Minas, inaugurada em 1881 por Dom Pedro II, abre caminho entre o Cerrado e a Mata Atlântica para levar o viajante a um belo passeio pelas serras do complexo de São José e por paisagens que ainda preservam a arquitetura do século XIX. Também é possível conhecer o Museu Ferroviário e a Rotunda, o giro manual da locomotiva que preserva o costume da época do Império. Tiradentes e São João del-Rei estão entre as principais cidades históricas de Minas Gerais e reúnem diversos patrimônios culturais brasileiros.

Outro passeio charmoso a bordo de uma autêntica Maria Fumaça é o Trem das Águas. Responsável pelo trajeto entre São Lourenço e Soledade de Minas (MG), o trem segue bem próximo do Rio Verde e percorre um total de 10km em duas horas de passeio (ida e volta).

Ainda em terras mineiras, o Trem da Serra da Mantiqueira tem como trajeto o trecho entre a estação central da cidade de Passa Quatro e a estação de Coronel Fulgêncio, perfazendo o total de 10 km. No caminho, os turistas podem se encantar com a paisagem da serra, passando pelas corredeiras do Manacá e a ponte Estrela.

 

 

O Trem da Serra da Mantiqueira (MG) é perfeito para quem quer vivenciar um passeio em uma autêntica Maria Fumaça. Crédito: ABPF 

A Região Sudeste também conta com o Trem Republicano, que liga as cidades paulistas de Salto e Itu. A Estação Ferroviária de Salto e os trilhos que ligam a cidade à vizinha Itu foram totalmente revitalizados com recursos do Ministério do Turismo, em torno de R$ 2 milhões. O trabalho abriu caminho para a operação do trem, atração turística que une passado e presente em um passeio nostálgico.

Em São Paulo, outro percurso encanta os turistas. O trajeto entre Guararema e a estação centenária de Luís Carlos é realizado a bordo da locomotiva 353, mais conhecida como a “Velha Senhora”, por fazer parte da história ferroviária do estado. Ela pertencia a Estrada de Ferro Central do Brasil e fazia o trajeto entre São Paulo e Rio de Janeiro, contribuindo muito para o desenvolvimento da cidade de Guararema. O passeio tem duração total de duas horas.

A vista encantadora a bordo do Trem de Guararema. Crédito: ABPF

No Rio de Janeiro é possível conhecer, sobre trilhos, um dos cartões postais mais famosos do Brasil, o Cristo Redentor. A bordo do Trem do Corcovado o turista atravessa a Mata Atlântica e passeia pela história do Brasil. Inaugurado em 1884 pelo Imperador D. Pedro II, o Trem do Corcovado já levou papas, reis, príncipes, presidentes da República, artistas e cientistas em seus vagões. Além disso, o trem é também um passeio ecológico, por ser elétrico e não poluir o meio ambiente.

A Estrada de Ferro do Corcovado, por onde passa o trem, foi a primeira ferrovia eletrificada do Brasil. É mais antiga do que o próprio monumento do Cristo Redentor. Aliás, foi o trem que, durante quatro anos consecutivos, transportou as peças do monumento.

O Trem do Corcovado leva o turista aos pés do Cristo Redentor e garante uma vista espetacular da cidade do Rio de Janeiro. Crédito: Trem do Corcovado

Já no Sul do país o Trem do Vinho, no Rio Grande do Sul, é uma das grandes atrações da Serra Gaúcha. A Maria Fumaça liga as cidades de Gramado, Bento Gonçalves, Garibaldi e Carlos Barbosa em um trajeto que revive a cultura italiana no Brasil.

No Paraná, a viagem sobre trilhos que liga as cidades de Curitiba e Morretes é bastante procurada por turistas e moradores da região. Considerado um dos passeios ferroviários mais bonitos do mundo, a viagem atrai milhares de viajantes em busca das belezas naturais da Serra do Mar.

Quem quiser pode “esticar” o passeio e embarcar no Trem Caiçara que liga Morretes à cidade histórica de Antonina, também no Paraná. A locomotiva a vapor mais antiga em operação regular no Brasil voltou a operar após 30 anos sem dar partida e agora leva turistas através de um percurso de 16 km pelas belezas do litoral paranaense.

O trajeto a bordo da recém-restaurada Maria Fumaça Mogul 11, fabricada em 1884, faz parte da Estrada de Ferro Dona Isabel, inaugurada em 1892, e se inicia na histórica Estação de Antonina reconhecida como Patrimônio Cultural Brasileiro e reformada, no ano passado, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), autarquia vinculada ao Ministério do Turismo.

No Paraná, é possível conhecer a Serra do Mar de trem. Crédito: Serra Verde Express

TREM BRUMADINHO – E vem mais uma rota ferroviária por aí. Um Grupo Técnico criado pelo Ministério do Turismo, por meio do Fórum de Mobilidade e Conectividade Turística, está em fase final de produção de resultados que visam a implantação do projeto do trem turístico que liga as cidades mineiras de Brumadinho e Belo Horizonte.

Lançado em dezembro de 2020, o grupo estuda a revitalização de uma estação em Belo Horizonte e a possibilidade da construção de outra em Inhotim. Em atividade, ele será capaz de transportar 840 pessoas por dia em duas locomotivas com seis vagões cada. O trem deverá proporcionar segurança e elevado conforto aos usuários, protocolos de higiene, serviços a bordo, acessibilidade para cadeirantes e pessoas com mobilidade reduzida. O trajeto de cerca de 50 quilômetros será feito em pouco mais de uma hora.

Além do trem turístico que poderá ligar Belo Horizonte a Brumadinho, o grupo listou outras rotas que possuem potencial para o projeto. São elas: Lavras/Três Corações/Varginha, Poços de Caldas/Águas da Prata, Perdões/Lavras/Carrancas, Cataguases/Além Paraíba/Três Rios e São Sebastião do Rio Verde/Passa Quatro.

SEGURANÇA A BORDO – As empresas que operam os trens turísticos no Brasil aderiram a protocolos de segurança sanitária para prevenção contra a Covid-19. Os trens estão operando com capacidade reduzida e há a obrigatoriedade do uso de máscara e aferição de temperatura antes do embarque.

O Ministério do Turismo oferece o Selo Turismo Responsável, Limpo e Seguro a 15 segmentos turísticos que queiram assumir o compromisso de adotar medidas de proteção contra a Covid-19. Para obter o selo, o prestador de serviço turístico ou guia de turismo precisa estar com a situação regular no Cadastur, que é o Cadastro Nacional de Prestadores de Serviços Turísticos. O cadastro é rápido, gratuito e pode ser feito online, clicando AQUI.

Na sequência, é preciso acessar o site do Selo Turismo Responsável, ler as orientações e declarar atender aos pré-requisitos determinados. Após estes passos, o interessado é encaminhado para uma área do site onde pode realizar o download do selo para impressão.

Com informações do Ministério do Turismo

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp