17°C
Clear sky

Delegado Humberto Teófilo declara voto contrário à prorrogação de calamidade pública

Em pronunciamento, na tribuna da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), durante a Ordem do Dia da sessão ordinária híbrida desta quarta-feira, 28, o deputado Delegado Humberto Teófilo (PSL) declarou voto contrário ao projeto da Governadoria que prorroga a situação de calamidade pública em Goiás até o final de 2021. A proposta tramita na Casa por meio do processo legislativo nº 4746/21.
Teófilo questionou da tribuna, a conveniência de ampliação do prazo do estado de calamidade pública, solicitada pelo chefe do Poder Executivo estadual. “É muito fácil governar sobre o manto da calamidade pública”, ”argumentou Humberto Teófilo.
O parlamentar justificou seu posicionamento contrário à prorrogação também ao se referir aos efeitos negativos, segundo ele, da prorrogação de prazo. “O funcionalismo público terá seus salários congelados, não haverá concursos públicos e o governo fica desobrigado de cumprir metas fiscais. Sem falar na dispensa de licitação. Não posso concordar com isso, por isso meu voto é contrário”.
Argumentos do Executivo
Com fundamento no artigo 65 da Lei de Responsabilidade Fiscal, o governador Ronaldo Caiado (DEM) argumenta que, para promover o equilíbrio orçamentário e financeiro do Estado de Goiás, também permitir a priorização da utilização de recursos na prevenção e no enfrentamento da pandemia da COVID19, se faz necessário que seja reconhecida, em caráter de urgência, o estado de calamidade pública, até 31 de dezembro de 2021. O chefe do Poder Executivo diz tratar-se de medida indispensável à flexibilização do cumprimento das metas estabelecidas na Lei estadual nº 20.821, de 4 de agosto de 2020, e das estimativas definidas na Lei estadual nº 20.968, de 18 de fevereiro de 2021.
 

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp