28°C
Scattered clouds

Educação SP realiza formação para implementar o Novo Ensino Médio

Secretaria da Educação do Estado (Seduc-SP) dá sequência à formação para implementação do Novo Ensino Médio. A programação sobre a proposta, que começa neste ano com estudantes da primeira série, reuniu dirigentes, supervisores, diretores do núcleo pedagógico e outros profissionais de todas as 91 Diretorias de Ensino (DEs), durante terça e quarta-feira (8 e 9), no Memorial da América Latina, em São Paulo.

Entre outros pontos, foram abordados legislação, histórico de diálogos com estudantes e professores, benefícios para acesso ao ensino superior, carga horária, itinerários formativos, cronograma e manifestação de interesse. O Novo Ensino Médio aproxima os estudantes das transformações da sociedade e do mercado de trabalho, por meio de um currículo mais flexível. A proposta considera, em especial, três frentes: o desenvolvimento do protagonismo e do Projeto de Vida dos estudantes, a valorização da aprendizagem com a ampliação da carga horária de estudos e a garantia de direitos de aprendizagem comuns.

A importância do evento foi comentada pelo secretário estadual da Educação, Rossieli Soares. “O ensino médio tem que ir além de preparar para o vestibular. Precisamos, enquanto rede, incentivar novos olhares, percepções, aptidões individuais em toda a trajetória de aprendizagem dos estudantes”, declarou. Em 2018, aliás, Rossieli, então ministro da Educação, foi o responsável pela homologação da etapa do ensino médio na Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Ainda sobre o ensino superior, recente escuta realizada junto aos estudantes apontou que “preparação para o vestibular” foi a terceira preferência estudantil (21,8%), atrás de “estudar as disciplinas que mais gosta” (33,2%) e “ingresso no mundo do trabalho” (59,8%).

“Sonhos em movimento” 

Presente na formação, Maria Beatriz Oliveira, dirigente em São José dos Campos, analisa o Novo Ensino Médio como “um marco para a educação brasileira”. Ela destacou o papel dos itinerários formativos, que possibilitam os alunos aprofundarem conhecimentos, conforme seus interesses, e a força do componente Projeto de Vida. “Assim, podemos incentivar os estudantes a pensarem sobre futuro. É uma preparação para o mercado de trabalho, para a vida e para enfrentar os desafios do século 21. É como se a gente colocasse os sonhos dos nossos alunos em movimento”, disse.

A trajetória antes da implementação foi relembrada pela equipe da Seduc-SP, como a discussão da necessidade de mudanças no currículo, por meio de consultas virtuais e presenciais. “Com os insumos dos alunos e professores, pudemos construir um material formativo para dar apoio durante esse processo de implantação”, afirmou o coordenador pedagógico, Caetano Siqueira. Já o coordenador de Ensino Médio, Gustavo Mendonça, reforçou o trabalho de formação. “Temos o objetivo de auxiliar a todos nessa transformação da educação paulista”, disse.

Na manhã de terça-feira, quatro estudantes participaram de uma roda de conversa com o secretário Rossieli e falaram sobre Projeto de Vida, hoje presente no currículo de todas as escolas de anos finais e ensino médio, por meio do Inova Educação, que também propõe outros dois componentes: Eletivas e Tecnologia e Inovação. Entre eles, o aluno Jean Kevin, da Escola Estadual Benedito Miguel Carlota, em Caraguatatuba. Ele descobriu uma vocação através do componente curricular: ajudar outras pessoas. Hoje, na 3º série, Jean mantém um perfil no Instagram (@resumos_cmsp_3) e um site com resumos dos conteúdos compartilhados nas aulas do Centro de Mídias da Educação de São Paulo (CMSP).

Já a aluna Rafaela Mainetti, da Escola Estadual Professor Milton da Silva Rodrigues, na zona norte de SP, revelou que conseguiu compreender e identificar sua paixão pela música depois de participar da Eletiva de audiovisual. A aptidão se transformou num projeto de vida, e hoje ela ensina canto a outros estudantes, além de se preparar para uma carreira na área de produção musical.

Mais sobre o Novo EM 

A proposta permite escolhas, autonomia e engajamento aos estudantes, além da conclusão da Educação Básica com mais preparo para os desafios do futuro. O Novo Ensino Médio será dividido em duas partes, que se complementam: a Formação Geral Básica (FGB) e o Aprofundamento. Na FGB, todos os estudantes terão acesso aos mesmos direitos de aprendizagem, de todas as áreas de conhecimento. Já no Aprofundamento, o estudante pode escolher a área ou as áreas integradas que mais dialogam com o seu projeto de vida.

O post Educação SP realiza formação para implementar o Novo Ensino Médio apareceu primeiro em Governo do Estado de São Paulo.

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp