23°C
Overcast clouds

Exposição virtual apresenta registros das transformações da cidade de São Paulo

O Acervo Artístico-Cultural dos Palácios do Governo do Estado de São Paulo apresenta a exposição virtual “Na Paisagem de São Paulo: Rebolo e o Grupo Santa Helena”, com mais de 30 pinturas de Francisco Rebolo e integrantes do chamado Grupo Santa Helena que apresentam importantes registros das transformações da cidade de São Paulo e seus arredores nas décadas de 1930 e 1940.

Com curadoria de Ana Cristina Carvalho e Lisbeth Rebolo Gonçalves, a mostra destaca a relevância desses artistas artesões na consolidação do modernismo brasileiro e nos desdobramentos do impacto cultural causado pelos primeiros modernistas pós-Semana de Arte Moderna de 1922.

Formado por Mário Zanini, Manoel Martins, Fulvio Pennacchi, Aldo Bonadei, Humberto Rosa, Clóvis Graciano, Alfredo Volpi, Humberto Rosa, Alfredo Rizzotti e Francisco Rebolo, o Grupo Santa Helena reunia-se no Palacete Santa Helena, localizado na Praça da Sé, para trocar experiências e conhecimentos.

Rebolo, o primeiro a se instalar no edifício, foi figura-chave. Seu espírito agregador e colaborativo se mostrou fundamental para a formação do grupo. Inicialmente, o artista alugou uma sala no Palacete, convidando, em seguida, Mário Zanini para dividir o espaço. É desse primeiro encontro que começa a nascer o Grupo Santa Helena.

Seus integrantes, chamados por Mário de Andrade de artistas proletários, eram imigrantes ou filhos de imigrantes, de origem humilde. Não se diziam um movimento artísticos; trabalhavam com sua arte e sobreviviam desse trabalho, como verdadeiros empreendedores da arte.

Saíam pelos arredores de São Paulo e registravam, através da pintura, as diversas regiões da cidade e do estado. Suas paisagens retratam o cotidiano da época, resultando em um rico registro da sociedade paulista dos anos 1930 e 1940.

Foi um período de grandes convulsões políticas e econômicas, como a grande crise financeira da bolsa de valores de Nova York, em 1929, e as Revoluções de 1930 e 1932.

Com a aproximação do centenário da Semana de Arte Moderna de 1922, é importante lembrar que a arte moderna brasileira não se resume aos pioneiros daquela geração. Os desdobramentos e influências da semana podem ser sentidos nesta São Paulo em transformação, que cresce e se desenvolve sob o olhar dos artistas do Santa Helena.

O post Exposição virtual apresenta registros das transformações da cidade de São Paulo apareceu primeiro em Governo do Estado de São Paulo.

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp