21°C
Overcast clouds

Fechamento do comércio objetiva evitar colapso na Saúde

De acordo com os novos decretos todo comércio não essencial será fechado, assim como bares, restaurantes, teatros e cinemas

Os prefeitos de Goiânia, Rogério Cruz (Republicanos), de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha (MDB) e de Trindade, Marden Júnior (Patriota) juntamente com o governador Ronaldo Caiado (DEM), apresentaram neste sábado (27/2) medidas mais restritivas de combate à Covid-19 que serão adotadas na Grande Goiânia nos próximos dias. Durante o anúncio, os gestores reafirmaram a necessidade das novas determinações neste momento considerado o pior desde o início da pandemia.

O prefeito Rogério Cruz ressaltou que todas as restrições feitas nos municípios que fazem parte da Região Metropolitana de Goiânia são para que seja possível cuidar das vidas dos goianos. “As medidas que estamos apresentando em nosso decreto, cada um no seu município, são para que esse cuidado possa chegar aos lares, tendo a atenção de todos os cidadãos do nosso estado de Goiás e dos nossos municípios”, disse o chefe do executivo goianiense. 

De acordo com os novos decretos todo comércio não essencial será fechado, assim como bares, restaurantes, teatros e cinemas. Está autorizado o serviço de delivery para alimentação. Os documentos entram em vigor a partir da próxima segunda-feira, 1º de março, com validade de sete dias. 

Gustavo Mendanha foi enfático e fez um apelo à população: “Evite sair de casa nesses dias para podermos conter o avanço da doença e para que possamos atender nossos doentes com qualidade. Não promova aglomerações e respeite o isolamento social. Caso alguém precise sair de casa, use máscara e higienize sempre as mãos lavando com água e sabão ou use álcool em gel. São apenas 7 dias que vão valer por vidas inteiras”, destacou o prefeito, informando que a administração vai continuar fazendo a parte dela que é testar, monitorar e tratar a quem precisa com dignidade e qualidade, além de fiscalizar o cumprimento de todas as regras sanitárias.

Durante a coletiva, o governador Ronaldo Caiado afirmou que o momento é delicado e lembrou que é preciso do apoio da população. “Temos que ter a convicção de que não são apenas as autoridades políticas que vão resolver os problemas. É necessário o apoio da população. Que as pessoas reflitam e que elas sejam responsáveis”, disse. O Promotor de Justiça Ailton Vechi completou: “Esse é o momento mais grave que enfrentamos da pandemia e considero exemplar a postura do governo e dos prefeitos da região metropolitana”. O secretário estadual de Saúde, Ismael Alexandrino, também ressaltou que “a subida exponencial de casos graves supera os leitos de UTI’s disponíveis. Espero que a população faça a sua parte e não espere um familiar morrer para acreditar na pandemia”.

Estarão liberadas nos próximos sete dias apenas as atividades consideradas essenciais, a exemplo de:

  • estabelecimentos de saúde relacionados à atendimento de urgência e emergência
  • unidades de psicologia, psiquiatria, fisioterapia, nutrição e reabilitação
  • unidades de hematologia e hemoterapia
  • unidades de oncologia, neurocirurgia, cardiologia, neurologia, intervencionista, pré-natal e de terapia renal substitutiva
  • atendimentos de emergências odontológicas; farmácias e drogarias; clínicas de vacinação; clínicas de imagem; serviços de testagem para covid-19
  • laboratórios de análises clínicas; cemitérios e funerárias
    -distribuidores e revendedores de gás e de combustíveis
  • unidades públicas e privadas de atendimentos ambulatoriais e especialidades em saúde de instituições de ensino superior, com atendimento em 50%, mediante agendamento prévio, ficando vedado o atendimento para procedimentos estéticos; 
  • estabelecimentos de comércio varejista e atacadista de produtos alimentícios, tais como supermercados, hipermercados e mercearias
  • distribuidoras de água; açougues e peixarias
  • laticínios , frios, frutarias e verdurões
  • panificadoras, padarias e confeitarias, somente para retirada no local ou na modalidade delivery
  • hospitais veterinários e clínicas veterinárias, incluindo os estabelecimentos comerciais de fornecimento de insumos e gêneros alimentícios e de higiene para animais
  • estabelecimentos comerciais que atuem na venda de produtos agropecuários
  • agências bancárias e casas lotéricas
  • estabelecimentos industriais de bens essenciais à saúde, à higiene e à alimentação animal, bem como as suas cadeias produtivas; estabelecimentos industriais de bens essenciais à saúde, à higiene e à alimentação humana, bem como as suas cadeias produtivas
  • estabelecimentos industriais de insumos e/ou produtos para as atividades de agricultura e de pecuária
  • serviços de call center, restritos às áreas de segurança, alimentação, saúde, telecomunicações e de utilidade pública
  • segurança pública e privada – empresas e pessoas do sistema de transporte coletivo da Região Metropolitana, empresas privadas de transporte, incluindo as de aplicativos, locadoras de veículos, táxis, transportadoras, motoboy e delivery 
  • empresas que atuam como veículo de comunicação
  • hotéis, pousadas e correlatos
  • obras da construção civil de infraestrutura do poder público, de interesse social, bem assim as relacionadas à energia elétrica e saneamento básico e as hospitalares, além dos estabelecimentos comerciais e industriais que lhes forneçam os respectivos insumos
  • restaurantes e lanchonetes localizados às margens de rodovia, sendo permitida a utilização de mesas e cadeiras no limite máximo de 30% de sua capacidade de pessoas sentadas. 

O período de validade do decreto será reavaliado antes do seu término e poderá ser prorrogado automaticamente por igual período, independentemente da edição de ato por parte do chefe do Poder Executivo, de acordo com a situação epidemiológica no momento da avaliação. 

Na hipótese de permanência da taxa de ocupação de leitos de UTI em até 70% por cinco dias consecutivos ou no caso de outros indicadores apresentarem a possibilidade de redução do período estabelecido, conforme análise de risco a ser apresentada pelo Comitê Metropolitano de Prevenção e Enfrentamento à Covid-19, ato do chefe do Poder Executivo poderá alterar o referido período. 

Decreto estadual

O governo estadual também divulgou decreto sobre o funcionamento do trabalho na estrutura do Governo e o apoio aos prefeitos. 

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp