24°C
Clear sky

Goianos terão que ficar mais 15 dias em casa

O Governo de Goiás prorrogou o decreto para evitar a proliferação do novo coronavírus no Estado. Ele começa a valer hoje e vai até o dia 19/04/2020. Continuam valendo as mesmas regras do decreto anterior, com as seguintes alterações:  –

Podem funcionar:

– Estabelecimentos que estejam produzindo exclusivamente equipamentos e insumos para auxiliar o combate à Covid-19;

– Feiras livres de hortifrutigranjeiros, sendo vedado o funcionamento de restaurantes, praças de alimentação e consumo de produtos no local; ✅

– Escritórios de profissionais liberais, sendo vedado o atendimento presencial ao público;

– Atividades administrativas de empresas públicas e privadas;

– Autopeças;

– Oficinas e borracharias às margens de rodovias;

– Restaurantes e lanchonetes de postos de combustíveis localizados às margens das rodovias;

– Cartórios extrajudiciais, desde que observadas as normas editadas pela Corregedoria-geral da Justiça do Estado de Goiás.

Detalhes do decreto

A partir do novo decreto, que já está publicado no Diário Oficial do Estado, continua permitida a abertura de borracharias, oficinas, lanchonetes e restaurantes instalados em postos de combustíveis, se situados às margens de rodovia; lojas de autopeças; e ainda estabelecimentos que estejam produzindo exclusivamente equipamentos e insumos para auxílio no combate à pandemia.

Também está prevista a retomada de feiras livres de hortifrutigranjeiro, mas está proibido o funcionamento de restaurantes ou praças de alimentação bem como o consumo de produtos no local. Profissionais liberais podem abrir seus escritórios, contudo, continua vedado o atendimento presencial ao público. Já cartórios extrajudiciais estão autorizados a funcionar, observando as normas editadas pela Corregedoria-Geral da Justiça do Estado de Goiás.

No caso da Educação, o decreto autoriza a realização de atividades administrativas das instituições de ensino públicas e privadas. Uma nota técnica da Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO) determina que as aulas presenciais em escolas, faculdades e universidades permaneçam suspensas até o dia 30 de abril, levando em consideração que a aglomeração de pessoas pode contribuir para a disseminação da Covid-19 entre estudantes e professores.

Caiado disse entender a dificuldade de alguns setores neste período de isolamento social, e que busca um socorro financeiro junto ao governo federal. “É hora de liberar linhas de crédito para dar condições para que eles não demitam, para terem acesso ao capital de giro em condições subsidiadas e de longo prazo”, disse. “Tanto é que em relação ao FCO, já solicitei ao superintendente do Banco do Brasil que toda verba seja destinada a micro, pequenas, médias e também às grandes empresas para que todos possam ser contemplados com empréstimos a longo prazo, com juros baixíssimos, e assim manter seus funcionários”, salientou.

O governador esclareceu que tem feito o que está a seu alcance, no âmbito do governo estadual, para minimizar os impactos da quarentena na vida das pessoas. Como exemplo, citou a prorrogação do prazo para pagamento do IPVA; a determinação para que a Saneago não corte o fornecimento de água em caso de inadimplência; o mesmo pedido para que não haja interrupção de energia junto à Enel; e o diálogo constante com representantes de todos os segmentos da sociedade em busca de soluções conjuntas. “Não tenho cabeça para outra coisa”, garantiu.

Foto Destaque: a redação

Foto interna:  ABC Digital

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp