25°C
Overcast clouds

HMAP recebe equipamento de hemodinâmica para aprimorar atendimento de alta complexidade

O Hospital Municipal de Aparecida de Goiânia (HMAP) recebeu a aparelhagem de hemodinâmica que permitirá à unidade realizar, dentro de três meses, exames e procedimentos de alta complexidade menos invasivos e com menor tempo de espera pelos pacientes. A iniciativa é fundamental para as pessoas com problemas cardíacos que já tiveram infarto ou acidente vascular cerebral (AVC) e que sofrem de arritmias, tromboses vasculares e aneurismas arteriais, dentre outros problemas.

“Essa é uma conquista que vai agilizar atendimentos, salvar vidas e reduzir sofrimentos, uma iniciativa importante para a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), mas, sobretudo, para a população de Aparecida e para aqueles que são encaminhados para cá de inúmeros municípios goianos pactuados conosco. A implantação da hemodinâmica no HMAP é mais um passo na independência que buscamos na rede, evitando encaminhar pacientes para outras cidades, e que aprimora a qualidade da atenção prestada às pessoas por um hospital público,” destaca o secretário de Saúde Alessandro Magalhães.

O equipamento, fabricado na França pelo conglomerado multinacional General Electric (GE), pesa quase 5 toneladas e será instalado no térreo do HMAP, ao lado do pronto socorro, num espaço que será readequado especificamente para comportar o maquinário e que permitirá a implantação de 10 leitos de hemodinâmica de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para exames e procedimentos. Segundo o engenheiro clínico Brenner Carvalho , da equipe do HMAP, técnicos da GE farão a instalação da aparelhagem, que tem um ano de garantia.

Revolução tecnológica

O diretor técnico do HMAP, Sérgio Vencio, ressalta que a hemodinâmica é “uma revolução tecnológica na área de cardiologia, cirurgias vasculares e neurológicas e permite, com muito menos agressividade, realizar exames e procedimentos dentro dos vasos sanguíneos. Aqui vamos iniciar fazendo nos vasos do coração com toda a parte de correção de infarto, colocação de stent, correção de válvula e estudo eletrofisiológico do coração, enfim, correção de qualquer disfunção das artérias e veias. Pouquíssimos hospitais públicos realizam esses procedimentos, que são de extrema complexidade e exigem profissionais altamente qualificados”.

O gestor exemplifica o potencial da iniciativa: “Um paciente com diabetes e problemas nos vasos que precisa amputar a perna, com a hemodinâmica poderá ter a solução dentro do vaso e sem nenhum corte, evitando a amputação. Isso vai trazer uma melhora enorme na qualidade do atendimento, que será mais seguro, com recuperação mais rápida e menor tempo de internação hospitalar com menos risco de infecção hospitalar”.

Equipe qualificada

Quanto à equipe profissional, o médico informa que “estamos iniciando o processo para criar o edital de convocação com todas as características que assegurem a qualidade dos profissionais. Todavia, já temos aqui equipes altamente capacitadas, até de cirurgia cardíaca, e também vamos adquirir mais materiais específicos. No fim deste ano já poderemos realizar testes para que, em janeiro de 2021, já estejamos ofertando à população procedimentos e exames de hemodinâmica.”

Conheça a hemodinâmica

Trata-se da área que identifica obstruções das artérias coronárias e que avalia o funcionamento das válvulas e do músculo cardíaco para diagnosticar uma possibilidade de infarto agudo do miocárdio ou determinar a exata localização da obstrução que está causando este infarto.

Fotos: Enio Medeiros

Fonte: Secom

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp