38°C
Clear sky

Homem com tornozeleira eletrônica e mais dois são presos pela prática do “golpe do novo número”

Após a prisão, todos foram recolhidos em cela da Central Geral de Flagrantes e Pronto Atendimento ao Cidadão

Sem cessar o combate aos crimes de estelionato na capital goiana, a Polícia Civil do Estado de Goiás, por meio do Grupo de Repressão a Estelionato e Outras Fraudes da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (GREF/DEIC), prendeu, na madrugada de 11 de maio, mais três pessoas, de 25, 26 e 28 anos, respectivamente, pela participação no já bastante conhecido “golpe do novo número”.

Neste golpe, que tem acontecido com muita frequência, notadamente a partir da pandemia do coronavírus, o criminoso utiliza como engenharia social o induzimento da vítima, geralmente idosa, a acreditar que um familiar, amigo, colega de trabalho, trocou de número de celular. Após um breve diálogo, o golpista, se passando por aquela pessoa, durante troca de mensagens, pede dinheiro emprestado à vítima, geralmente alegando que pagará no dia seguinte.

No caso sob apuração, os criminosos se passaram pela filha da vítima, que reside no Estado de Minas Gerais, e após alegar que estava com um problema em seu aplicativo do banco, pediram R$ 4.895, que foram transferidos da conta da vítima para a conta de um dos presos.

Logo após terem tomado conhecimento do ocorrido, os investigadores do GREF/DEIC, em rápidas diligências identificaram e prenderam o beneficiário da transferência, o qual foi localizado na cidade de Senador Canedo-GO, na sequência, identificou-se que ele havia transferido o dinheiro para outro envolvido no crime, o qual foi preso nesta capital.

Por último, foi identificado o agenciador das contas bancárias, o qual estava cumprindo pena e prisão domiciliar com utilização de tornozeleira eletrônica.

Este, na ocasião em que os policiais civis foram até sua residência, também nesta capital, se evadiu em um veículo automotor, porém, foi perseguido e alcançado pela equipe e preso em um posto de combustíveis, já chegando na cidade de Hidrolândia-GO.

Após a prisão, todos foram recolhidos em cela da Central Geral de Flagrantes e Pronto Atendimento ao Cidadão (CGFPAC) e depois de submetidos a audiência de custódia, dois tiveram a prisão convertida em preventiva e um deles foi solto mediante medidas cautelares alternativas.

As investigações continuam e novas prisões devem acontecer a qualquer momento.

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp