Hospital na Paraíba desenvolve projeto que trata o zumbido crônico

Uma médica acupunturista do Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW-UFPB), ligado à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), vinculada ao Ministério da Educação, está desenvolvendo um projeto que busca tratar o zumbido no ouvido por meio de eletroacupuntura.

O zumbido no ouvido é um problema que afeta cerca de 15% da população mundial e ocorre em qualquer idade, porém é mais prevalente após os 60 anos. “O zumbido é um sintoma definido como uma percepção sonora sem uma fonte geradora de som, que pode se manifestar nos ouvidos ou na cabeça. Apresenta uma grande variedade de fatores associados à sua manifestação, e se diz crônico quando persiste por mais de seis meses”, esclarece a médica Mayra Freitas.

Geralmente, acrescenta a especialista, “o zumbido é uma percepção auditiva ‘fantasma’, que é percebida apenas pelo paciente — e isso dificulta a investigação do problema”. Para muitas pessoas, o zumbido pode parecer chiado, apito, cigarra, cachoeira, panela de pressão ou, até mesmo, ainda que seja raro, o barulho do coração batendo no ouvido e alguns cliques ou estalos.

Pessoas maiores de 18 anos que apresentam esses sintomas podem se inscrever para ter acesso à terapia com eletroacupuntura. O tratamento é feito no Ambulatório de Acupuntura do HULW, onde são feitas 10 sessões, sendo duas por semana, sempre nas terças e quintas-feiras, nos turnos da manhã ou tarde. Não podem participar do estudo: gestantes; pacientes que têm alguma prótese interna; cardiopatas severos; e pessoas que já fizeram eletroacupuntura antes.

O que é eletroacupuntura?

A eletroacupuntura é uma modalidade terapêutica neuromodulatória, onde pequenos estímulos elétricos são aplicados em algumas agulhas inseridas em pontos específicos de acupuntura. – Agência Brasil – YWD 982744