28°C
Scattered clouds

Imóveis de doleiro da Lava Jato são vendidos em leilão

Imóveis do doleiro Dario Messer, que foi preso durante a Operação Lava Jato, foram vendidos em leilão por R$ 12,9 milhões. A venda ocorreu de forma eletrônica, nesta terça-feira (16), por decisão da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, por ordem do juiz Marcelo Bretas.

Dos 11 imóveis disponibilizados, cinco foram vendidos, cinco tiveram a venda cancelada e um ainda está em aberto, podendo ser arrematado. O imóvel mais caro, um terreno de 4.319 metros quadrados, na Barra da Tijuca, foi arrematado por R$ 4.215.000,00. Uma casa, com 350 m2, na Lagoa, foi vendida por R$ 2.625.000,00.

Um apartamento, de 149 m2, na Barra da Tijuca, foi arrematado por R$ 2.440.00,00. Outro apartamento, com 139 m2, também na Barra, alcançou o preço de R$ 1.951.874,00. O último imóvel vendido no leilão foi um apartamento, com 104 m2, na Barra, arrematado por R$ 1.675.454,00.

O único imóvel que está com os lances em aberto é uma quitinete, em Copacabana, com 25 m2, que tem o preço mínimo de R$ 193.090,00. As informações do leilão eletrônico, com os detalhes dos imóveis, podem ser conferidas na página do leiloeiro na internet

Messer

O doleiro Dario Messer, envolvido em desdobramentos da Operação Lava Jato, foi condenado a 13 anos e quatro meses de prisão e ao pagamento de multa no valor aproximado de R$ 2,1 milhões.

Messer foi condenado por “ocultar e dissimular a origem, a natureza, a disposição, movimentação e propriedade de recursos em dólar no exterior, depositados, em decorrência de vendas por fora de pedras preciosas e semipreciosas”, segundo a sentença, além de ocultar e dissimular a origem, a natureza, a disposição, movimentação e propriedade de recursos em reais depositados no Brasil em favor de quatro garimpeiros.

Conhecido como “o doleiro dos doleiros”, Messer se prontificou a devolver à Justiça quase R$ 1 bilhão. Messer está em prisão domiciliar, por ser do grupo de risco à covid-19, porém, o juiz Alexandre Libonati, da 2ª Vara Federal Criminal, reiterou a necessidade do doleiro permanecer em regime fechado, em unidade prisional, tão logo passe a pandemia de covid-19.

Em 2020, parte da coleção de artes de Messer, com valor estimado em R$ 10 milhões, foi doada ao Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), no Rio de Janeiro.

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp