29°C
Few clouds

Inep começa a avaliar virtualmente pedidos de cursos universitários

Especialistas selecionados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) realizaram, esta semana, as primeiras avaliações remotas de instituições de ensino superior.

Implementada com a justificativa de manter e melhorar o processo de avaliação dos cursos de graduação em todo o país, a nova modalidade de inspeção foi instituída por meio da Portaria nº 165, publicada no Diário Oficial da União da última terça-feira (20).

Segundo o diretor de Avaliação da Educação Superior do Inep, Luís Filipe de Miranda Grochocki, na segunda (26) e terça-feiras (27), comissões de especialistas avaliaram, por videoconferência, seis instituições de ensino privadas responsáveis por sete diferentes cursos de graduação. Por razões legais, a autarquia ainda não divulgou o nome das instituições, mas informou à Agência Brasil que duas delas ficam no estado de São Paulo e as demais na Bahia, no Espírito Santo, em Minas Gerais e no Paraná.

Segundo Grochocki, que acompanhou parte das avaliações, o uso de tecnologias da informação e comunicação ocorreu sem problemas. “A experiência foi excelente. Não houve dificuldades com o sistema; avaliadores e representantes das instituições ficaram à vontade e todas as inspeções foram concluídas dentro do prazo”, comentou o diretor, acrescentando que outros quatro processos para autorização de criação de novos cursos serão avaliados remotamente ainda esta semana.

A meta do Inep é realizar 5 mil inspeções remotas até o fim de outubro deste ano.

As avaliações on-line duram, no mínimo, dois dias. Cumprida esta etapa, os especialistas têm cinco dias para apresentar seus relatórios. Durante a visita virtual, os avaliadores analisam documentos, entrevistam representantes institucionais e docentes, além de avaliar as instalações físicas da instituição responsável pelo pedido de credenciamento e autorização de novos cursos, cujos processos estão sendo priorizados neste primeiro momento. Tudo por meio de videochamada.

“Não houve mudanças nos procedimentos de avaliação. Mantivemos o rigor do processo, cumprindo as normas do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes). Tudo acontece ao vivo, e o local é verificado por meio de geolocalização”, comentou Grochocki, explicando que a possibilidade de estender o modelo de avaliação virtual para os processos de recredenciamento de cursos já em funcionamento ainda será avaliado com o Ministério da Educação e com a Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (Conaes).

Para o diretor, além de agilizar o processo de avaliação e otimizar o uso de recursos públicos, a análise remota pode dar mais transparência ao sistema. “Este procedimento permite que técnicos do Inep passem a acompanhar de perto [o trabalho dos especialistas selecionados], o que nem sempre tínhamos condições de fazer. Além disso, as visitas agora ficarão gravadas, permitindo, quando necessário, que tudo seja conferido”, disse Grochocki, minimizando a possibilidade de aspectos que seriam constatados presencialmente não serem percebidos na videochamada.

“Não vejo grandes riscos. Inclusive porque estamos pedindo documentação adicional, como a planta dos prédios. Pode acontecer de, às vezes, termos uma visão melhor do todo”, acrescentou o diretor, destacando que os especialistas que prestam serviço ao Inep estão sendo capacitados a utilizar a tecnologia.

Os avaliadores são profissionais de diferentes áreas de especialização, selecionados por meio de chamada pública. Atualmente, o instituto tem mais de 8 mil interessados no trabalho inscritos em sua base de dados. “Em meio à pandemia, a avaliação remota dá mais segurança também aos avaliadores”, concluiu Grochocki.

A fim de orientar avaliadores e representantes das instituições de ensino, o Inep elaborou o Guia de Boas Práticas de Avaliação Externa Virtual in Loco, que está disponível na internet do instituto. Mais detalhes sobre a avaliação remota podem ser consultados na página do instituto.

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp