19°C
Overcast clouds

Ministro da Educação nem tomou posse e já deve cair

Auxiliares do presidente Jair Bolsonaro admitiram que o novo ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli, nomeado, mas ainda não empossado, deve entregar sua carta de demissão em breve.

“Está resistindo, mas creio que vai entregar. Está sendo convencido a isso”, disse um auxiliar palaciano. Outro interlocutor do governo resumiu a situação com uma expressão popular: “Ele está na corda-bamba”.

O desgaste gerado pelo fato de o currículo de Decotelli apresentar inconsistências, segundo um auxiliar direto do presidente, foi um tema constante nas reuniões de ontem do governo. Bolsonaro estaria avaliando a situação e inclusive pediu novamente a lista de nomes para o cargo.

Após um encontro com o próprio Decotelli, ontem no início da noite, Bolsonaro fez um aceno de apoio, mas evidenciou o incômodo causado pelas desconfianças na formação do novo ministro.

Um assessor palaciano salientou que a saída de Decotelli não necessariamente precisa aguardar a carta de demissão já que ele não chegou a assumir oficialmente. “É só exonerar. Não precisa de sua manifestação”.

A nomeação de Decotelli foi publicada em edição extra do Diário Oficial na quinta-feira (25), após anúncio feito pelo presidente Jair Bolsonaro. O governo chegou a planejar a posse para esta terça-feira, mas até agora não há nenhum tipo de informação oficial neste sentido.

Um auxiliar do núcleo militar, que chancelou o convite para Decotelli fazer parte do governo, informou que o ainda ministro não é um militar de carreira. “Ele não é da Marinha. Fez um curso no CIORM (Centro de Instrução de Oficiais da Reserva da Marinha) há muitas décadas atrás e não seguiu carreira”, disse.

Carla Araújo

Do UOL, em Brasília

Imagem: Agência Brasil

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp