37°C
Clear sky

Missão humanitária brasileira no Haiti realiza atendimentos de apoio à população local

Durante 21 dias, a missão humanitária enviada pelo Governo Federal ao Haiti atuou na assistência à população e na eliminação de riscos de desabamentos. O país foi atingido por um terremoto no dia 14 de agosto que deixou mortos, feridos e desabrigados. Na noite deste domingo (12), a equipe retornou ao Brasil.

“Voltamos com o senso de dever cumprido trazendo alívio e assistência a uma população que tanto necessita que são nossos irmãos haitianos”, disse o coordenador da missão brasileira no Haiti que é diretor do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres do Ministério do Desenvolvimento Regional, Armin Braun.

A operação contou com militares especializados em buscas e salvamentos e em atuação em situação de desastres. Foram 32 bombeiros militares do Distrito Federal, de Minas Gerais e da Força Nacional de Segurança Pública, além de cães. A equipe ficou uma temporada baseada em Les Cayes, uma das cidades mais atingidas pelo tremor, onde os brasileiros realizaram a maioria das atividades da missão.

“Fizemos importantes atividades de assistência no apoio à distribuição de insumos à população, de cestas básicas, apoiando a Defesa Civil local ou organizações que estão atuando no país na distribuição de forma ordenada desses alimentos. É uma população muito carente e precisa muito desses itens de primeiras necessidades, sejam eles alimentos, purificadores de água, kits de higiene”, explicou o coordenador da missão Armin Braun.

A missão humanitária brasileira ainda atuou na busca e tratamento de estruturas colapsadas que poderiam desabar representando risco à população. “Nossa equipe também trabalhou num componente importante que era a eliminação do risco residual. Devido ao terremoto, várias estruturas foram afetadas e precisavam ou ser estabilizadas, passar por um processo de avaliação e posterior estabilização das estruturas, ou a remoção do risco”, relatou o coordenador.

Envio de medicamentos e purificadores

O Brasil também apoiou o atendimento de saúde. Foram enviadas 3,5 toneladas de medicamentos e insumos para assistência emergencial. Entre eles, kits de medicamentos e insumos estratégicos para assistência farmacêutica emergencial, materiais de uso hospitalar como macas, colares cervicais e insulina humana tipo regular, medicamento que tem ação rápida em casos de choque.

E para amenizar a dificuldade de oferta de água potável à população haitiana, o governo brasileiro doou purificadores de água capazes de suprir cerca de 4 mil pessoas por dia com água potável livre de vírus e bactérias. Com a água potável é possível reduzir doenças.

Armin Braun relatou que após o terremoto grande parte da população teve as casas derrubadas ou danificadas e estão vivendo em abrigos ou em situação precária em barracas montadas no entorno das casas e precisa muito de insumos básicos.

A missão humanitária é uma ação interministerial liderada pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), por meio da Defesa Civil Nacional, e conta com a participação dos Ministérios das Relações Exteriores, da Defesa, da Saúde e da Justiça e Segurança Pública.

Apoio Histórico ao Haiti

O coordenador da missão humanitária lembrou que o Brasil tem larga experiência em ações realizadas no Haiti por isso conhece a realidade local, o que favorece o trabalho de apoio. No passado, o Brasil foi responsável pelo comando do braço militar da Missão das Nações Unidas para Estabilização do Haiti (Minustah).

“Como tem sido nos últimos anos, o Brasil foi o país que melhor prestou assistência à população do Haiti durante um grande desastre. Foi o país que conseguiu colocar uma equipe em campo e operar por vários dias com tarefas multidisciplinares, entendendo a situação local, as necessidades e carências da população que foi afetada pelo terremoto. Operamos durante 21 dias no país com alto nível de complexidade”, afirmou Armin Braun.

Segundo ele, a ajuda do Brasil ao Haiti vai continuar nos próximos meses uma vez que há atividades de cooperação entre os dois países.

Brasil capacitado para ajudar em situação de desastres

O Brasil tem uma Defesa Civil bem estruturada e que vem se capacitando para atuar dentro do país e fora dele, de acordo com o coordenador da missão brasileira no Haiti e diretor do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres, Armin Braun. “O Brasil nos últimos anos está desenvolvendo uma grande capacidade de apoiar outros países que necessitam da nossa ajuda”, disse.

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp