24°C
Clear sky

MME conhece tecnologias que alavancam a produtividade da cana

O Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, conheceu o Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), em Piracicaba (SP). A agenda teve como objetivo apresentar os ganhos de toda a cadeia sucroenergética da cana-de-açúcar em termos de produtividade, sustentabilidade e economia de baixo carbono.

Segundo a CTC, 27 milhões de hectares de cana-de-açúcar produzem 1,8 bilhão de toneladas de açúcar em todo o mundo anualmente. O Brasil lidera a produção e responde por cerca de 40% da cana produzida no mundo, cultivada em aproximadamente 10 milhões de hectares, pouco mais de 1% do território nacional.

O CEO do CTC, Gustavo Leite, destacou que a cana-de-açúcar é a cultura comercial com a maior produção de biomassa e capacidade de captura de carbono em termos globais. “O avanço da tecnologia da cana, a partir das pesquisas do centro, ajudou a transformar as usinas em indústrias da sustentabilidade”, disse.

Segundo o presidente do Conselho de Administração do CTC, Luis Roberto Pogetti, o país vem mantendo a expansão e o crescimento do setor sucroenergético de forma eficiente e sustentável. “A biotecnologia terá um papel cada mais estratégico na ampliação da produtividade no campo”, destacou.

Também participaram da visita o embaixador da Índia no Brasil, Suresh Reddy, o secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia (MME), José Mauro Ferreira Coelho, além de líderes do setor sucroenergético.

Na ocasião, Bento Albuquerque e comitiva conheceram os laboratórios do CTC e suas três principais plataformas tecnológicas: melhoramento genético (para o desenvolvimento de variedades mais produtivas), biotecnologia (para proteger as variedades de ataques de pragas) e as sementes sintéticas (para otimizar o modo como se planta cana-de-açúcar).

Centro de Tecnologia Canavieira

O Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) é uma empresa de biotecnologia e inovação, líder global em ciência da cana-de-açúcar. Tem um dos maiores bancos de germoplasma de cana-de-açúcar do mundo, com aproximadamente 5 mil variedades. Nos laboratórios em Piracicaba (SP) e Saint-Louis (Missouri-EUA), as equipes de cientistas desenvolvem trabalhos de ponta em breeding, biotecnologia e novos sistemas de plantio e manejo. Criado em 1969, o CTC contribuiu para o avanço tecnológico do agronegócio nacional e a competitividade do setor sucroenergético, levando o Brasil à liderança mundial do setor, com produção sustentável de açúcar, etanol (biocombustível limpo e renovável) e bioeletricidade.

Com informações do Ministério de Minas e Energia

 

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp