33°C
Overcast clouds

Pandemia: Unicamp muda prova de matemática depois alterações no ensino

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) informou que a prova de Matemática terá alterações para candidatos da área de humanidades, considerando o contexto da educação durante a pandemia, em que as escolas chegaram a fechar e o ensino seguiu o modelo exclusivamente remoto por um período.

O diretor da Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest), José Alves de Freitas Neto, explicou que a prova de segunda fase da instituição é composta por questões abertas, ou seja, o estudante não responde a partir de múltiplas escolhas, ele precisa construir a sua resposta. 

“Nesse sentido, a matemática é um desafio extra para os candidatos da área de humanidades e, no ano passado, nós percebemos que muitos candidatos que tinham um bom desempenho nas áreas de linguagem, de história e de geografia tiveram sua nota prejudicada por conta do resultado na prova de matemática. Então nós fizemos um estudo e adequamos para que a prova de matemática tivesse um perfil mais próximo à aplicação na área em que o candidato vai prestar a sua carreira”, disse.

Ele ressaltou que os candidatos de humanas precisam interpretar gráficos, fazer contas e debater, por exemplo, noções de economia e de demografia. “Então a matemática que sirva a esse tipo de interpretação atenderá melhor aos objetivos do vestibular da Unicamp.”

Quando analisados caso a caso, o diretor afirmou que os estudantes de escola pública e aqueles que têm baixa renda foram os mais prejudicados no que diz respeito ao desempenho nas provas.

“Todas as vezes que analisamos qualquer resultado de notas globalmente nós precisamos fazer as minúcias das interpretações para saber em quais grupos essas notas impactam e o que ela significa. Então é evidente que uma nota de matemática, quando ela cai muito, como aconteceu no ano passado, por conta da pandemia, isso tem um impacto ainda mais perverso nos estudantes que vêm tanto de escola pública quanto de baixa renda”, disse.

Freitas Neto avalia que é necessário que os vestibulares acompanhem a realidade educacional para não punir ainda mais esses estudantes. “É possível fazer uma prova exigente, que selecione adequadamente os estudantes, mas trazendo temas que estejam mais afeitos, mais próximos à realidade desses estudantes e das carreiras que eles vão seguir.”

Inscrições

As inscrições para o vestibular da instituição poderão ser feitas até 8 de setembro, exclusivamente pela internet, em formulário disponível na página eletrônica da Comvest.

Para essa edição, a Comvest decidiu manter o número de questões que havia sido reduzido na edição anterior, de 90 para 72. A lista de obras de leitura obrigatória para o Vestibular Unicamp 2022 apresenta dez obras, em vez das tradicionalmente 12 obras de anos anteriores.

Serão oferecidas 2.540 vagas em 69 cursos. A taxa de inscrição é de R$ 180 e poderá ser paga até dia 10 de setembro. É possível fazer até duas opções de cursos, desde que da mesma área.

O número de vagas oferecidas pelo vestibular da Unicamp voltou a 2.540, porque as 639 vagas do Enem-Unicamp, que haviam sido incorporadas ao processo na edição passada, voltarão a ser oferecidas dessa vez pela modalidade, com inscrições a partir de 3 de novembro.

O Manual do Ingresso 2022 está disponível no site da Comvest, com informações sobre o processo de inscrição, as provas e demais etapas.

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp