29°C
Overcast clouds

Pátria Voluntária estimula doação com a campanha “Bora doar Sangue”

O número de doadores de sangue nos hemocentros diminuiu no ano de 2020. O isolamento social imposto pela Covid-19 provocou a redução de 15% a 20% no número de doações em relação a 2019, de acordo com o Ministério da Saúde. A doação de sangue é um ato voluntário, e pode ser praticada por cidadãos entre 16 e 69 anos, com peso mínimo de 50 quilos.

Para estimular a solidariedade, o programa Pátria Voluntária se uniu ao Ministério da Saúde na campanha “Bora Doar Sangue”, para estimular a população a praticar a doação.

A iniciativa foi lançada em fevereiro e busca promover ações mensais até dezembro de 2021. Nesta quinta-feira (4), a Primeira-dama e presidente do conselho do Pátria Voluntária, Michelle Bolsonaro, foi ao Hemocentro de Brasília (DF) acompanhada do presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães.

Michelle Bolsonaro lembra que a doação é um ato de empatia e solidariedade. “Muito obrigada, Pedro, por ter convocado a Caixa a estar aqui fazendo esse papel de empatia, de amor e de solidariedade ao próximo”, agradeceu.

Para que os doadores se sintam seguros e continuem indo aos postos de coleta de sangue, os hemocentros se adaptaram para recebê-los intensificando os cuidados com a higienização das áreas, instrumentos e superfícies, uso de antissépticos e acolhimento que minimizam a exposição e o aglomerado de pessoas. As cadeiras estão mais espaçadas, é disponibilizado álcool em gel e os profissionais trabalham com todos os equipamentos de proteção individual.

A importância da doação
Com uma única doação, de 450 ml, é possível salvar a vida de até 4 pessoas, e essa quantidade é reposta no organismo em 24 horas.

A servidora pública Ana Paula Oliveira marca presença no Hemocentro de Brasília de duas a três vezes por ano. “Para mim, a doação de sangue é uma atitude muito simples que a gente pode ter e que tem uma repercussão muito grande, um resultado muito positivo. São muitas vidas que a gente pode ajudar, já tive pessoas próximas que precisaram de doação de sangue, então, eu sei o quanto isso é importante.”

A presidente da Fundação Hemocentro de Brasília, Bárbara Simões, explicou que o sangue doado é utilizado em cirurgias, procedimentos oncológicos, no atendimento a vítimas de acidentes e destinado a pacientes que recebem transfusão de sangue regularmente.

“Tanto a Fundação Hemocentro de Brasília como todos os hemocentros do país estão preparados para receber os doadores de sangue de forma segura, com distanciamento social e tendo toda a segurança”, afirmou Bárbara Simões.

– Agência Brasil – YWD 987960

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp