18°C
Scattered clouds

Perguntas Frequentes

 

O que são atos públicos de liberação de atividade econômica?

Conforme lei federal, eles são a licença, a autorização, a concessão, a inscrição, a permissão, o alvará, o cadastro, o credenciamento, o estudo, o plano, o registro e os demais atos exigidos, sob qualquer denominação, por órgão ou entidade da Administração Pública na aplicação de legislação, como condição para o exercício de atividade econômica, inclusive o início, a continuação e o fim para a instalação, a construção, a operação, a produção, o funcionamento, o uso, o exercício ou a realização, no âmbito público ou privado, de atividade, serviço, estabelecimento, profissão, instalação, operação, produto, equipamento, veículo, edificação e outros.

A notificação do Ministério da Economia deve ser encaminhada ao CGSIM, mas existe algum endereço eletrônico para notificação?

Sim, notificações podem ser direcionadas ao endereço: cgsim@economia.gov.br

Pode o Poder Público exigir documento ou obrigação não previsto em lei ou norma?

Não. Pela regra de in dubio pro libertatem, ao menos que a regra seja clara, a liberdade deve prevalecer.

Qual o prazo para a aprovação tácita?

Cabe ao próprio órgão que executa o ato público de liberação determinar o prazo. A única obrigação é informá-lo ao particular no momento do protocolo.

E na hipótese de um empreendimento se enquadrar em um dos riscos, mas não no outro?

Os particulares devem observar todos os critérios de baixo risco. Assim como a Lei de Liberdade Econômica não dispensa atenção à legislação, como, por exemplo, em matéria ambiental e trabalhista, também não autoriza a inobservância aos critérios de baixo risco em ambas as esferas.

Quando uma atividade é definida como “baixo risco A”, mas é exercida em local cuja metragem (m²) é superior ao disposto na Resolução do CGSIM ou na lei municipal, a dispensa de atos públicos de liberação é revogada?

Sim, pois o particular deve observar todos os critérios estabelecidos na norma municipal ou, na ausência dele, na Resolução n.º 51 do CGSIM.

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp