30°C
Clear sky

Plenário vota em definitivo obrigatoriedade de realização do teste do bracinho

O Plenário deve apreciar, em segunda e defititiva votação, o projeto de nº 7483/19, que propõe tornar obrigatória a realização do teste do bracinho para identificar problemas de hipertensão arterial em crianças a partir de três anos. O projeto de lei é de autoria do líder do Governo, deputado Bruno Peixoto (UB).
De acordo com a redação da matéria, os hospitais, clínicas e demais unidades de saúde, pertencente à rede pública do estado, ficam obrigados a realizar o teste do bracinho em crianças a partir de três anos de idade, durante as consultas pediátricas. O teste do bracinho consiste na aferição da pressão arterial da criança pelo médico ou enfermeiro devidamente registrado em sua entidade de classe e tem como objetivos o rastreio, o diagnóstico e a prevenção de: hipertensão arterial infantil; doenças cardíacas; doenças renais; e complicações renais, cardiológicas e em retina. 
“A hipertensão arterial tem sido considerada um problema de saúde pública, conforme dados publicados pela Organização Mundial de Saúde (OMS), devido ao crescente aumento do número de casos, principalmente a incidência deste mal em crianças e adolescentes. Ao contrário do que se acreditou por muito tempo, a hipertensão arterial primária tem sua origem na infância e adolescência e tem sido diagnosticada com frequência cada vez maior nesta fase da vida. Por ser considerada um “mal silencioso”, sem alarde, possui alta morbidade e mortalidade associadas”, argumenta o parlamentar na justificativa.
Depois de obter o segundo aval do Parlamento goiano, a matéria será convertida em autógrafo de lei para estar apta à sanção do governador Ronaldo Caiado (UB).

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp