17°C
Clear sky

Projeto de Bruno Peixoto prevê criação do selo para empresas e marcas que não fazem testes químicos em animais

Instituir o selo “Livre de Crueldade” como forma de certificação oficial aos produtos e marcas que não realizem testes em animais, no estado de Goiás. Essa é uma postulação do deputado Bruno Peixoto (UB), formalizada através do projeto de lei nº 2114/22, que recebeu parecer favorável da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ), da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego).
O objetivo deste projeto é promover o bem-estar animal por meio do combate à realização de testes de produtos em animais, podendo conceder, inclusive, benefícios fiscais a estabelecimentos e marcas que não realizem testes de produtos em animais. “As modernas teorias vêm ressaltando a importância da valorização do bem-estar animal”, coloca Bruno Peixoto, ao justificar a sua iniciativa parlamentar. 
Bruno Peixoto ressalta que a luta pelo bem-estar animal atingiu proporções maiores no século 21. “Pautas reivindicatórias desde a segunda metade do século 20 contribuíram para a eclosão de vários movimentos em prol da proteção e da defesa animal”.
Segundo a justificativa do projeto, o médico veterinário Marcelo Weinstein Teixeira, membro da Comissão de Ética, Bioética e Bem-Estar Animal do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), defende que seria importante que houvesse um selo oficial para marcas de cosméticos que não realizam testes em animais. “Nesse contexto, é inadmissível que a sociedade seja conivente com qualquer prática que não corrobore no sentido de promover o bem-estar animal. Uma grande demanda dos ativistas da causa animal é em relação ao teste de produtos em animais”, afirma Bruno no texto da matéria.

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp