29°C
Few clouds

Proposta define atribuições para o policiamento aquaviário no Brasil

O Projeto de Lei 5489/20 regulamenta o policiamento aquaviário no mar, nas águas interiores e nas áreas portuárias sob jurisdição nacional, inclusive nas margens dos espelhos d’água.

A proposta em tramitação na Câmara dos Deputados define que os trabalhos caberão à Marinha do Brasil; às polícias Federal, Militar e Civil; e às guardas portuárias. Cada corporação atuará na respectiva área de competência, sem prejuízo de outros órgãos públicos com atribuições específicas, como o Fisco.

Michel Jesus/Câmara dos Deputados
Gurgel: regulamentar segurança de portos e vias navegáveis é premente

Pelo texto, entre outras medidas, a Marinha será responsável pela fiscalização das atividades da Marinha Mercante; as Polícias Federal e Civil terão, no campo próprio, funções de polícia judiciária; a PM fará patrulhamento ostensivo; e as guardas atuarão somente na área de jurisdição da administração portuária.

Beneficiários de concessões, permissões e autorizações, ou do arrendamento de instalações, poderão manter serviço de vigilância, desde que aprovado pela administração do porto e não interfira no trabalho das demais corporações.

“O Projeto de Lei 4199/20, conhecido como “BR do Mar”, revelou a premente necessidade de uma lei regulando questões relativas à segurança pública em portos e vias navegáveis do País”, explicou o autor, deputado Gurgel (PSL-RJ).

Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Viação e Transportes; de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado; de Relações Exteriores e de Defesa Nacional; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp