25°C
Clear sky

Unesp Botucatu cria grupo de estudo sobre saúde trans

Você sabia que a Unesp de Botucatu tem um grupo de estudos sobre a saúde de pessoas transgênero? O GESTrans (Grupo de Estudos em Saúde Transgênero) iniciou suas atividades no dia 25 de maio, com uma aula sobre Conceitos e Contextos sobre indivíduos transgêneros, ministrada pela psicóloga Priscila Tamarozzi.

“O grupo surgiu através da iniciativa de alunos da graduação dos cursos de nutrição, biomedicina e medicina, com o intuito de disseminar informações e promover discussões sobre os temas da área da saúde envolvendo a população transgênero”, explica a professora Renata Maria Galvão de Campos Cintra, do Departamento de Ciências Humanas e Ciências da Nutrição e Alimentação do Instituto de Biociências da Unesp de Botucatu (IB), e que faz parte da coordenação do GESTrans.

De acordo com a Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra), a população Transgênero possui uma baixa expectativa de vida como consequência da marginalização e violência sofridas. Essa realidade vai de encontro ao despreparo na formação de profissionais da área da saúde em relação às demandas dessa população e é pensando nisso que o GESTrans agirá.

Como funciona?

O objetivo do grupo é trazer a pauta de identidade de gênero, cidadania e cuidados em saúde da população Transgênero para o meio acadêmico, criando um espaço de aprendizado para a formação dos futuros profissionais de saúde, além de despertar possíveis futuros projetos de pesquisa e extensão voltados a esse público.

“O SUS (Sistema Único de Saúde) possui princípios que prezam pela atenção e tratamento de toda a população brasileira, sempre respeitando suas diferenças, individualidades e necessidades, sendo necessário que os profissionais formados e futuros profissionais estejam capacitados para atender a todos os indivíduos, sem distinção”, comenta a professora.

Por meio de aulas e rodas de conversa sobre vivências, de forma online, o GESTrans cria um espaço de discussão e aprendizado para falar sobre identidade de gênero e necessidades das pessoas trans. Além disso, os encontros virtuais serão uma forma de colaborar para que os futuros profissionais da saúde formados pela Unesp de Botucatu estejam aptos a acolher, com sensibilidade, a saúde transgênera em seu dia a dia pessoal e também no ambiente profissional.

Também está nos planos do grupo fazer com que outras pessoas da graduação e pós-graduação se sintam estimuladas a realizar projetos de pesquisa e extensão voltados ao tema, construindo conhecimento e repassando-o à comunidade.

Para acompanhar as próximas aulas e outros conteúdos relacionados ao tema, basta seguir @gestrans.unesp no Instagram. 

O post Unesp Botucatu cria grupo de estudo sobre saúde trans apareceu primeiro em Governo do Estado de São Paulo.

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp