34°C
Scattered clouds

Visitadores do Criança Feliz têm capacitação para detectar possíveis casos de abuso sexual

Os visitadores do Programa Criança Feliz passam a contar com um novo curso de formação complementar. Com o objetivo de enfrentar a realidade das violações de direitos, eles terão acesso à capacitação para identificar e atuar em casos de abuso sexual contra crianças e adolescentes. Uma parceria entre os ministérios da Cidadania e da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos possibilitou a construção e disponibilização do material online.

O curso, que faz parte da campanha do mês da Primeira Infância, já pode ser acessado e ficará disponível até o dia 30 de novembro no site da Escola Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (ENDICA). “Os visitadores serão aliados no cuidado e na atenção. Eles vão aprender como perceber sinais identificadores que podem vir a causar uma violência sexual contra as crianças e, assim, ajudar na proteção e na prevenção dessas violências”, explicou Luciana Siqueira, secretária nacional de Atenção à Primeira Infância (SNAPI) do Ministério da Cidadania.

“A gente vai dar capilaridade para a temática da proteção da primeira infância, já que teremos visitadores que estarão na casa das pessoas, orientados a perceber sinais identificadores de violência. Vamos fechar o cerco em favor da primeira infância, com um exército de profissionais que fará a identificação e o encaminhamento para uma rede de proteção”, comemorou Maurício José da Silva, secretário nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. A pasta ofertou cerca de 26 mil novos visitadores formados e qualificados para o Programa Criança Feliz.

Programa Criança Feliz

O Criança Feliz é um programa que tem o objetivo de apoiar e acompanhar o desenvolvimento infantil integral na primeira infância, no período compreendido entre 0 a 6 anos, facilitar o acesso da gestante, das crianças na primeira infância e de suas famílias às políticas e aos serviços públicos que necessitam. O Programa se desenvolve por meio de visitas domiciliares que buscam envolver ações de saúde, educação, assistência social, cultura e direitos humanos. As visitas são ofertadas pelos municípios.

 

Com informações do Ministério da Cidadania

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp