Moradores do Centro de Goiânia dão contribuições para o Centraliza

Date:

Share post:

Audiência pública com ampla participação popular discutiu programa da Prefeitura de Goiânia voltado para a Região Central com ações nas áreas segurança pública, infraestrutura, mobilidade, bem-estar, lazer e convivência, além incentivos fiscais

Moradores do Centro de Goiânia lotaram o auditório do Sesc, localizado na Rua 19, no Centro da Capital, na noite desta terça-feira (5/3), para dar suas contribuições ao Programa Centraliza. A audiência pública foi promovida pelo presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Municipal, o vereador Henrique Alves, e pela relatora do Projeto de Lei, a vereadora Sabrina Garcez. O Centraliza foi idealizado pela Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Finanças (Sefin), e tem como principal objetivo promover a requalificação da região, com ações voltadas para as áreas de segurança pública, infraestrutura, mobilidade, bem-estar, lazer e convivência, além incentivos fiscais.

Na ocasião, foram apresentados a estrutura do projeto, eixos temáticos e ações previstas. Também foi ressaltado como a participação popular é importante para que o Centraliza se torne realidade. “Esse é um programa ativo, que tem várias faces. Quando pensamos nele, a ideia inicial era entregar um masterplan inteiro, completo, só que nós entendemos, ao conversar com os moradores e o setor produtivo, o quanto a matéria é viva e como colaboração de todos, inclusive para identificar os pontos de prioridade, se faz necessária”, pontuou a chefe de gabinete da Sefin, Ana Helena Borges.

O projeto foi bem recebido pelos moradores da região, que contribuíram com sugestões para suas demandas mais latentes. Entre elas, a da Marília, que possui deficiência visual e pediu maior atenção com as calçadas; a do Aldo, que sugeriu permissão para que, aos finais de semanas, motoristas possam estacionar os carros próximo à Praça Cívica; e preocupações gerais em relação à segurança pública, como medidas para o maior controle de ambulantes, uma fiscalização mais intensiva da Guarda Municipal para combater problemas de consumo de drogas por pessoas em situação de rua, e punição para pichadores.

Empresário do grupo Novo Mundo, que possui negócios na região, Carlos Luciano esteve presente na audiência e ressaltou a importância do Centraliza. “Esse projeto é muito valioso, pois vem para resgatar, restabelecer a vida no Centro. A gente só precisa tirar do papel, fazer com que seja cumprido”, questionou, ao passo que a vereadora Sabrina Garcez, relatora do Projeto, explicou que “o diferencial do Centraliza é que ele depende muito mais do indivíduo, da coletividade, do que do Poder Público por si só. É um Projeto de Lei que está para ser aprovado”.

Todas as sugestões e contribuições dos mais de 100 presentes na audiência pública serão levados em consideração pela vereadora, que apresentará as emendas relativas às correções que julgar necessárias junto à Sefin.

Sobre o Centraliza
O Programa Centraliza já está em andamento e possui atividades divididas em sete eixos temáticos:

I – habitação e atividades econômicas
II – segurança pública
III – infraestrutura, mobiliário urbano e preservação
IV – mobilidade urbana
V – meio ambiente
VI – cultura e esporte
VII – lazer, bem-estar e turismo

Fotos: Sefin

spot_img

Notícias relacionados

Ao lado de Caiado, Daniel, Gustavo e Sandro, prefeito Vilmar se filia ao União Brasil

­Vilmar une base do governador em Aparecida e vai disputar reeleição com apoio de UB, MDB e quase...

Prefeitura de Aparecida inaugura moderna central semafórica nesta terça-feira

Espaço contará com monitoramento em tempo real dos semáforos da cidade, além de integração com aplicativo Waze que...

Prefeito Vilmar assina ordem de serviço para construção de nova Casa de acolhimento para crianças em Aparecida

Espaço irá garantir a segurança de integralidade de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade ou risco de violência O...

Vacinação contra a gripe segue em 38 postos de Aparecida de Goiânia

Idosos, gestantes, crianças de 6 meses a menores de 6 anos, pessoas com deficiência ou comorbidades, trabalhadores da...